DOS PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO

 

Considerando a sua origem ligada a arte, educação e as lutas sociais e vivenciando o atual contexto histórico de nossa grande nação, a Associação de Arte Educadores, Agentes Sociais e Similares do Estado de São Paulo - Instituto Amor Brasil e Instituto Gueto, representada por sua diretoria e em nome de seus associados e parceiros, defende e se propõe a vivenciar o dia a dia de labor, em busca de uma nova cultura político-social, cultural e educacional, na preservação e promoção dos seguintes princípios:

 

IGUALDADE: busca permanente das pessoas e dos diferentes grupos pelo reconhecimento de que todos (as) são iguais, mesmo sendo diversos, e portanto com direito à livre organização para lutar por esta igualdade. O conceito de igualdade se opõe à todas as formas de desigualdades, entre pessoas, grupos ou países, sejam elas de origem econômica, política, social, geracional, territorial, cultural, religiosa e de expressão sexual.

 

DIVERSIDADE: diferenças dadas por aspectos da vida: gênero, geracional, raça/cor, etnia, orientação sexual, deficiências, dentre outras. A diversidade não se opõe à igualdade, pelo contrario, são conceitos complementares e interligados.

 

SOLIDARIEDADE: forma de relação entre pessoas, grupos e países baseada na cooperação, superando a concorrência, a exploração e as relações hierarquizadas.

 

PLURALIDADE: reconhecimento da diversidade de opiniões, modos de vida e de posições políticas e culturais como legítimas manifestações do ser plural da humanidade e da complexidade da sociedade.

 

AUTONOMIA: autonomia de seus associados e atendidos, assim como educandos e educadores envolvidos em suas ações diretas e indiretas e do próprio Instituto Amor Brasil e Instituto Gueto em relação ao Estado, aos governos, às Igrejas e aos partidos políticos. Defendemos também a autonomia das pessoas em suas opções em relação ao seu corpo, crenças, orientação e expressão sexual.

 

TRANSPARÊNCIA: acesso universal às informações públicas, tanto aquelas produzidas pela burocracia como as dos (as) representantes eleitos (as) / nomeados (as). Esta mesma transparência defendemos para o Instituto Amor Brasil e Instituto Gueto.

 

PARTICIPAÇÃO: atuação da sociedade civil nos espaços de decisão, por meios institucionalizados ou não, de mecanismos de democracia direta ou participativa. A participação pressupõe a construção de uma cidadania ativa.

 

LIBERDADE: a livre expressão, de modo igualitário, dos diferentes grupos e indivíduos, assim como a liberdade de organização, a soberania popular, o pluralismo político, étnico, racial, de gênero e de orientação sexual.

 

SUSTENTABILIDADE: alternativas de desenvolvimento humano e sustentável que considerem a igualdade, a justiça social e o equilíbrio ambiental para as presentes e futuras gerações. Nesta concepção de sustentabilidade incluímos o respeito aos direitos humanos que a humanidade deve exercer e ampliar.

 

DEMOCRACIA: todos estes princípios estão na direção da construção de uma verdadeira democracia, que ultrapasse a formalidade dos processos eleitorais e que não fique reduzida à vida pública. Eles devem ser incorporados em todas as dimensões dando corpo ao projeto político, cultural e educacional que defendemos para o Brasil.

 

HORIZONTALIDADE: constituição de relações horizontais de poder, respeitando as diferenças e a diversidade, visando a não hierarquização das relações.

 

  

A DIRETORIA

GESTÃO HUMANITÁRIA